quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Tempo de se despedir.

Eu comecei escrever esse texto no dia em que recebi a noticia que perdi uma pessoa especial (13/7), mas apenas consegui terminar hoje. Dedico a todos que perderam pessoas próximas, e que sabem como é esse sentimento. 


Em Memória...

 A perda de alguém é dividida em muitas fases:
  Primeiro começa com o choque quando você recebe a notícia e simplesmente não consegue reagir e sente como se tivesse levado um tiro no peito, tudo está em câmera lenta e parece não fazer sentido.
  Segundos depois se inicia a fase em que cai a ficha e a bala queima seu peito te fazendo chorar até você simplesmente não conseguir mais, você não pensa em nada apenas chora pela dor insuportável que está sentindo.
  Depois vem a fase em que sua mente vira um silêncio ensurdecedor, você fica imóvel, não chora, não grita, não sente nada. Apenas sente que aquele momento não está acontecendo, sente-se fora do próprio corpo, e você quer reagir porque ficar em silêncio não parece certo, mas não consegue.
 E após minutos ou horas, se inicia a pior fase.
  Aquela em que você chora muito, depois para um pouco, e quando parece ter ficado tudo bem, você chora de novo, e cada vez que volta a chorar parece doer mais. Tudo é real agora. E as vezes você está conversando normalmente e chora sem esperar, mas dói da forma mais insuportável.
 Depois de alguns dias se iniciam novas fases...
  Começando com aquela em que você já não chora mais tanto e quer manter boas lembranças da pessoa, então você quer que seus amigos falem sobre ela, mas todos evitam o assunto como se a pessoa nunca tivesse existido, apenas tentando não te fazer chorar.  Em seguida se inicia o tempo em que você é quem está tentando esquece-la para seguir com sua vida, então não quer ninguém tocando no assunto, mas é exatamente ai em que todos voltam a falar sobre ela.
  Enfim, como sempre dizem, o tempo cura tudo...Mas eu não acredito nessa teoria. Eu tive muitas perdas e posso dizer que a dor nunca passa, você apenas aprende a ignora-la e conviver sem aquilo que perdeu, o tempo não cura ele te ensina a lidar com o que precisa.
  O tempo não cura a dor, não cura o amor, não cura a saudade. Mas no final, tudo que queremos é...tempo.

 Tempo,

 tempo de olha, de sentir, de ouvir, de sorrir, de chorar, de gargalhar, de ficar em silêncio, de te olhar, de conversar, de te sentir, de te beijar, de te abraçar, de correr, de lembrar, de amar, tempo de se despedir.

- Isabela M.

Em memória de:

- Cristovão
- Marcelo
- Gustavo
- Ivanilde
- Isabelli
- Gabriel
- Alex
- Gabi
- Luciana
- Marcos
- João

(Obrigada por terem feito parte da minha vida) *




quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Ah Lua...

Ah Lua, se eu pudesse lhe tocar
Diria o quanto  amo te ver brilhando
E te agradeceria a companhia
Pois até nas noites mas silenciosas
Ainda sim posso contar contigo.

Mesmo se a saudade me domina
Ou se a escuridão quer se fazer presente
Tu me consola com sua beleza
E jamais deixa que a tristeza 
Seja a dona da minha noite.

E eu sempre saberei comigo 
O dia em que eu não conseguir mais te ver
Que eu te procurar e não te sentir
Quando a neblina tomar forma
Não haverá mais motivos para sorrir.

O amargo de não te olhar
O medo de não ser acompanhada
A dor de saber o destino
A conformidade se iniciando
O recado já foi dado.

Me despedirei com graça
Com a saudade esperada
E com enorme gratidão
Pois la se foi a lua 
Junto a ela meu coração.

-Isabela M.                                       Criado:27/01/2016

sábado, 1 de agosto de 2015

Meu paraíso por 22 dias...

 Passei 22 dias em São José do Rio Preto!
  Foi o melhor mês da minha vida, fomos reformar nossa casa, e eu gravei todo o processo de reforma.
 Mas acordar todos os dias com aquele sol gostoso, com o quintal cheio de passarinhos e aquela brisa gostosa, isso não tem nada que pague.
  Mas infelizmente ontem dia 31/08/15 nós (eu e meu pai) voltamos para são paulo, e foi impressionante ver como aqui é diferente.
 Sentir o cheiro horrível do Rio poluído, com aquela neblina e tanta poluição...não sei foi uma cena horrível, e olha que eu moro a minha vida toda em são paulo, mas aqui é tanta loucura, agitação, falação, o ambiente pesado e escuro, com pessoas tristes, e o céu cinza de poluição, eu só conseguia pensar, meu Deus como nós sobrevivemos aqui por tanto tempo?
  Sinceramente minha vontade é pegar minhas coisas e fugir daqui, voltar p "sjrp" mas, a vida tem que continuar, nem tudo é fácil assim, porque se fosse, podem ter certeza que eu não estaria mais aqui a muito tempo.
  É engraçado, eu faço parte dessa loucura paulista, eu ando apressada, eu falo agitada, eu como as coisas e jogo o papel no chão...é assim que nós somos, não temos tempo nem p jogar um papel no lixo. Mas lá é diferente, eu ando na velocidade correta, eu falo com calma, e principalmente, não jogo nada no chão, eu não preciso jogar, eu não QUERO jogar nada no chão, porque ai eu estaria deixando aquele paraíso com cara do famoso inferno de são paulo. La eu não preciso ter pressa, eu posso parar e sentir o vento fresco e ar puro, eu posso ir no rio e ver peixes, eu posso andar na rua anoite, la eu posso ter paz, porque ali é simplesmente...
O meu paraíso.

-Maça.            *Pagina no facebook*    

quinta-feira, 4 de junho de 2015

A pobre mulher sem rumo.

Não sei o que fazer!

  Minha mente não para de gerar histórias para escrever, mas meu notbook parou de pegar e não posso escrever em folhas pois tenho um problema muito chato, chamado "tendinite". As vezes sinto que vou ficar louca com tantas coisas que se passam em minha cabeça, tantos personagens já entraram e também se foram. E me dói não ter dado a eles a oportunidade de serem conhecidos por algumas pessoas (meus leitores).
  Queria que minha mente viesse com uma maquina de escrever embutida, e todas histórias pensadas em momentos de distração fossem escritas automaticamente, para que todas ficassem registradas.
  O grande problema é que eu gero histórias super interessantes, cheias de acontecimentos, em momentos assim, por exemplo:
  "Estou caminhando na rua e avisto uma mulher do outro lado chorando de cabeça baixa. Neste momento, as engrenagens da minha cabeça já começam girar a todo vapor produzindo a história desta mulher. E então como um filme, tudo começa a acontecer diante de meus olhos.
 A mulher em casa com seus filhos na mesa, jantando muito feliz. Quando de repente um homem entra a porta com cara enfezada, e gritando com ela. 
 - Mulher, porque ainda não colocou meu jantar?
  Ela assustada se levanta rapidamente pedindo perdão olhando para baixo, em sinal de submissão. Pega o prato e o serve uma bela porção de arroz, feijão e carne.
 - Eu não sabia que ia chegar tão cedo amor, estava apenas jantando com nossos filhos.

 - Eu não te perguntei nada, agora cale a boca e me deixe comer.

  Ela novamente abaixa seu rosto e termina seu jantar, faz carinho em seu filho que esta assustado com o tom de voz de seu pai. 
  Ele termina seu jantar, se levanta e vai para sala jogando seus sapatos pelo caminho, liga a televisão e lá fica enquanto sua pobre esposa limpa a cozinha. 
  Mas então no meio do jogo ele grita novamente:

 - Traz uma cerveja para mim!

 - Já vou meu bem, estou apenas enxaguando a louça.

 - Eu mandei você trazer agora!

  Neste momento ela ainda estava magoada pelo jantar, então se vira e grita:

 - E eu disse que vou te levar depois, pare de resmungar. Velho folgado!

  Ele olha como se fosse a matar, e levanta rapidamente do sofá, vai em sua direção com fúria e pega forte em seu braço.

 - O que você pensa que esta fazendo, você esta louca,onde já se viu gritar assim comigo?

 - Você que gritou, eu estava magoada, desculpa!

  Ele serra os dentes de tão nervoso, e com muita força grita:

 - Eu já te  mandei calar essa boca! - enquanto lhe da um tapa na cara, fazendo com que ela caísse ao chão chorando.

  E então ela fica caída no chão por minutos, apenas chorando, sem saber como reagir. Mas a esse momento ele já tinha ido embora novamente. 
  No outro dia pela manhã, ela decide tomar uma providência.Acorda seus filhos e sai correndo de casa, deixa apenas um bilhete na mesa de jantar dizendo:'Eu cansei de me calar.'
  Deixa seus filhos na escola e começa a andar pela rua sem rumo, de cabeça baixa e chorando. Do outro lado da rua uma garota sem rumo também, imaginando o que lhe aconteceu para estar chorando assim."

Agradeço por escutarem minha história.

- Maça.
  

sábado, 18 de abril de 2015

Mudando de cidade...

Adeus São Paulo.

  A um ano atras, jamais imaginei que minha vida mudaria durante uma viagem a passeio para São José do Rio Preto.
  Durante esta viagem minha mãe, que por sinal nunca quis sair de São Paulo, disse que gostaria de morar naquela cidade do interior, fiquei muito surpresa, pois, eu e meu pai sempre quisemos morar no interior, mas minha mãe e irma amam a cidade grande e movimentada.
  Não achamos que daria em nada, mas aqui estou eu hoje, com a nossa casa já comprada e ansiosa esperando o dia de finalmente ir. É engraçado como certas coisas acontecem em nossas vidas, eu moro na mesma casa desde que nasci, e sempre sonhei em ir para longe. Mas quando fiquei sabendo que iria, eu fui a pessoa que mais se recusou. O fato de ir para 457km longe dos meus amigos e minha família, me apavorou. Mas durante os meses fui percebendo que não tenho muitos amigos de verdade, na verdade apenas colegas passageiros.
  A cada dia que passa a ansiedade de ir embora aumenta, e parece que não vai chegar nunca o dia, e nem parece que a alguns meses eu estava chorando porque não queria ir.
  #Dicas:
 Então dicas para quem esta de mudança e não sabe oque fazer.
 - Deixe tudo fluir, não fique pensando no que pode dar errado, apenas leve tudo como uma experiencia boa para virar história no futuro.
 - Nem sempre tudo sai dentro do planejado, e a saudade vai doer sim, mas sem saudade qual seria a graça? A saudade apenas mostra o quanto você gosta de alguém, e sempre vai ter aquele sentimento bom de reencontro. 
- Sempre esteja preparado para imprevistos, pois o sobrenome de mudança é com certeza, imprevisto. Principalmente se for fazer alguma reforma.

 Por hoje é isso, um bom final de semana, e me acompanhem nessa loucura de mudança. Beijos.

 - Maça.

São José do Rio Preto.

sábado, 31 de janeiro de 2015

O que é Saudade...

Vamos falar de saudades...

  Até um tempo atrás eu poderia definir saudade como algo físico, a saudade de alguém em especifico, mas hoje, apos um mês e quinze dias sem escrever em meu blog, percebi que saudade não e apenas algo físico, e sim um sentimento que causa uma dor, uma abstinência quase de algo que você gosta. Não importa se é uma pessoa que você conhece, ou pessoas que gostaria de conhecer, um objeto ou ate mesmo um simples blog. Mas para mim não é apenas um teclado e um monitor, são pessoas que estão vendo oque escrevo e muitas vezes admirando meus simples capítulos...
  E já são 600 visualizações, o que para muitos é um numero pequeno de mais, mas para mim é uma alegria imensa, então muito obrigada a todos vocês por transformarem o sentimento ruim da saudade em algo tão maravilhoso!

- Maça.
Obrigada <3  by: Maça.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

RECADO IMPORTANTE!!

  Eu sei que posto um capitulo novo toda segunda, mas pode ser que semana que vem não postarei. Pois estou resolvendo coisas sobre a documentação do livro. E até que tenha terminado, não vou poder postar mais.
  Mas vou tentar resolver o mais depressa possível. Desculpem, e agradeço a compreensão desde já.

 Beijos, Maça.